4TRUCK

O cigarro já esteve associado a uma série de aspectos positivos e seu uso foi plenamente incentivado pela publicidade e cultura.

Com o passar do tempo e a descoberta de seus danos à saúde o cenário se modificou.

Embora o cigarro ainda seja legal ele sofre com uma série de medidas que visam desestimular seu consumo pela população.

Além do frequente aumento de impostos que incidem sobre o produto, há restrições quanto ao local de consumo.

E no Brasil não é diferente!

Em 2014 a lei antifumo, 12.546, foi sancionada de forma a proibir o uso de cigarros e similares em locais fechados (total ou parcialmente) de uso coletivo, públicos e privados.

E agora, uma nova proposta de lei promete dificultar ainda mais as vidas dos fumantes: a proibição de fumar enquanto dirige.

Fumar enquanto dirige: um risco ao volante

Antes de apresentar a nova proposta de lei é importante lembrar que embora a legislação prevista no Código De Trânsito Brasileiro não seja específica quanto ao cigarro, é importante se atentar ao artigo 252.

Aqui fica claro que dirigir com apenas uma das mãos ao volante, exceto em momentos de fazer sinais regulamentares, passar a marcha ou operar equipamentos e acessórios do veículo é uma infração média.

Da mesma forma, como dirigir com um braço para fora.

Atualmente as infrações médias rendem multa de R$ 130,16 além de 4 pontos na CNH.

Mas, mesmo com a legislação atual cobrindo situações das quais o motorista fuma ao volante, na prática poucos são autuados.

Dessa forma, o projeto de lei 8709/17 que circula pela câmara dos deputados prevê alterações no CTB para considerar fumar enquanto dirige uma infração específica.

Pelo projeto o motorista que fumar ao volante estará cometendo uma infração gravíssima, que rende 7 pontos na CNH e multa de R$ 293,47.

A justificativa do autor do projeto é que o hábito de fumar um cigarro ao volante é fator que contribui para a ocorrência de acidentes.

E não apenas por inutilizar uma das mãos.

Esse é um fator importante, principalmente para os caminhoneiros que circulam com grandes pesos no baú do caminhão e precisam estar sempre atentos.

Mas não é o único.

Quando o motorista acende um cigarro ele deixa de prestar atenção na pista à frente.

No momento que o foco volta, pode ser tarde demais para realização de manobras que evitem acidentes.

Outra situação comum é a queda de brasas no banco, que desviam totalmente a atenção daquele que está ao volante.

Novamente, nesses casos, a situação é agravada nos caminhões.

O baú de caminhão cheio aumenta o peso dos veículos de carga que necessitam, assim, de um maior tempo de frenagem.

Assim, aqueles poucos segundos de desatenção podem resultar em acidentes fatais.

Ainda não há previsão para a votação da lei específica sobre o cigarro ao volante.

Porém, não seria de surpreender que dentre em breve ela seja aprovada e passe a valer em todo território nacional.

Agora é aguardar. Estaremos de olho aqui para informá-los.

Gostou deste artigo? Continue acompanhando nosso blog e tenha acesso a mais dicas do Homem do Baú.

Até a próxima!

Postado por: Osmar Oliveira – 4Truck | www.4truck.com.br