Um dos principais temas econômicos em discussão no Brasil atualmente, a fragilizada infraestrutura tem na modernização dos modais de transporte um grande desafio a superar. Como os gargalos existentes nos diversos sistemas viários têm sido uma das barreiras para deslanchar o crescimento da economia nacional, as modalidades de transporte tornaram-se foco de investimentos do governo nos últimos anos.

O modal rodoviário é predominante na matriz de transporte brasileira e as estradas estão em um estado precário, o que imprime o Custo Brasil às mercadorias, o que prejudica a a competitividade. Os entraves logísticos no fluxo de produtos do interior do país até as fábricas, ao varejo dos centros urbanos e de remotas regiões, aos portos marítimos, entre outros destinos, inflam os preços das mercadorias.

Com o aquecimento da economia nacional entre 2009 e 2011, e o consequente aumento de transporte pelo país, a utilização de rodovias foi intensificada, descortinando ainda mais a necessidade de uma infraestrutura adequada para suportar uma demanda crescente. Mesmo com os sinais de arrefecimento do ritmo de expansão da economia interna, as condições das estradas precisam evoluir.

Com os megaeventos esportivos se aproximando, os investimentos também estão sendo realizados em linha para atender o aumento da demanda por serviços durante a Copa do Mundo de Futebol 2014 e os Jogos Olímpicos 2016. Para dar respaldo às verbas destinadas à modernização das rodovias, programas estão sendo aplicados no setor a fim de superar obstáculos e ajustar o descompasso que existe entre oferta e demanda de transporte.

Planos preveem mais investimentos

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Plano Nacional de Logística e Transportes (PNLT) são ações do governo brasileiro que pretendem atrair investidores para incrementar a infraestrutura nacional e colocar o Brasil na rota do desenvolvimento acelerado sustentável. O governo criou a Empresa de Planejamento e Logística S.A. (EPL) para estruturar e qualificar o processo de planejamento integrado de logística no país, interligando rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias.

Um estudo da Confederação Nacional do Transporte (CNT), no entanto, mostra a situação recente das rodovias, com condições inadequadas das pistas, sinalização, pavimentação e pontos críticos da malha rodoviária nacional, com foco nas estradas de grande relevância para transporte de cargas e de passageiros no Brasil. De acordo com a CNT, de 2002 a 2012, o investimento federal em infraestrutura de transporte no Brasil cresceu 354%, passando de R$ 2,8 bilhões para R$ 12,7 bilhões.

Apesar do montante aplicado, o volume investido ainda está muito aquém do necessário e o aumento dos recursos aplicados até agora não se traduziu em melhor infraestrutura. Segundo o Plano CNT de Transporte e Logística, o Brasil precisa de investimentos de R$ 405 bilhões, valor quase cinco vezes maior do que o montante de fato investido nos últimos 11 anos (R$ 82,2 bilhões).

gráfico2Brasil cai no ranking mundial de qualidade das estradas

Para o Fórum Econômico Mundial, de 2008 a 2012, a qualidade da infraestrutura de transporte no país piorou. Em relação ao modal rodoviário, o país caiu da 110ª posição para a 123ª.  A má qualidade da infraestrutura não está relacionada apenas à falta de manutenção, mas também à baixa qualidade dos serviços prestados em obras do setor. O Tribunal de Contas da União analisou 11 obras rodoviárias entregues entre 2011 e 2012. Do total, 10 rodovias apresentaram irregularidades, como deslocamentos de pistas, trincas e buracos. Algumas obras já apresentavam problemas um mês após a entrega.

O aumento dos recursos aplicados não é garantia de qualidade em infraestrutura já que o Brasil elevou consideravelmente o valor investido, mas piorou sua colocação no ranking internacional de qualidade de infraestrutura de transporte. Nesse sentido, é fundamental uma melhor gestão dos recursos destinados ao setor, pois investimentos apenas significam ganhos de eficiência na movimentação de cargas e redução de custos logísticos se traduzidos em melhoria e ampliação do sistema de transporte brasileiro.

Fonte: Knowtec

Postado por: 4Truck | www.4truck.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.