Quais fatores pesam mais no custo de um implemento rodoviário? – DICA DO HOMEM DO BAÚ #280  

Será que ao adquirirem um implemento rodoviário, os empresários, frotistas e gestores da área de transportes, em geral, têm conhecimento sobre os fatores que mais influenciam nos valores de um baú de caminhão?

Antes de começar a falar sobre a questão dos custos de uma unidade, é importante destacar que um bom implemento rodoviário precisa ter, ao menos, três características, além de um bom preço.

O primeiro aspecto que considero significativo é em relação à resistência. O bom implemento precisa ser resistente para suportar o trabalho severo, que exige o transporte de carga em geral.

O segundo fator que se deve levar em consideração é o olhar sobre a leveza do baú. Hoje em dia já é de conhecimento geral que quanto mais leve o implemento mais carga o transportador consegue carregar. Não por acaso, os metais, como o alumínio, ganharam a preferência no mercado, justamente por contarem com um peso menor.

A terceira condição a ser avaliada no momento da aquisição de um implemento é a durabilidade. Um implemento rodoviário tem seu custo elevado e, por isso, precisa durar bastante para amortizar o investimento feito ao longo do tempo.

Custos

Já em relação aos custos, atento para os três principais itens na composição de um valor de um baú de caminhão: matéria-prima, impostos e mão de obra. Atualmente, os materiais mais utilizados na fabricação de uma unidade, como aço, alumínio ou metais em geral, têm um alto valor de mercado e, consequentemente, impactam substancialmente na precificação do baú.

Implementos para o transporte de cargas especiais requerem baús customizados: revestidos internamente com madeira, alumínio ou borracha, equipados com trilhos ou suportes para fixação da carga,  acessórios, como iluminação em LED, escadas embutidas no chassi ou rampas. Já os baús isotérmicos, ideais para o transporte de cargas com temperatura controlada, requerem isolamento em poliuretano ou isopor.

Assim como em outros setores da economia do país, o segmento de Logística também sofre com a alta carga tributária. Por conta disso, os materiais industrializados, utilizados nos processos de fabricação e de montagem de um implemento, são taxados por muitos impostos, que acabam repassados, em parte, ao comprador final.

Por fim, temos os investimentos com relação à mão de obra especializada, já que uma boa solda ou uma bela pintura exige profissionais capacitados para este tipo de trabalho.

Além disso, os caminhões modernos contam cada vez mais com tecnologia. Este cenário tem exigido implementos com a parte elétrica bem elaborada, com lâmpadas em LED, módulos eletrônicos instalados corretamente, entre outros materiais e detalhes, que requerem conhecimento técnico.

 

Ficou com dúvidas ou possui sugestões? Deixe um comentário também.

Até a próxima!


Osmar Oliveira

CEO – 4TRUCK Soluções Sobre Rodas

Escreva seu Comentário!

Escreva seu Comentário!