4TRUCK

Via Motorpress Transporte | www.motorpress.com.br
Autor das imagens: Omar Matsumoto

A renovação quase simultânea de sua gama de caminhões a fim de se preparar para a chegada da Euro 5 em 2012 rendeu bons frutos para toda a linha Mercedes-Benz. Com identidade visual padronizada sem deixar de lado a aerodinâmica, esses caminhões são um testemunho da determinação da fabricante em propor ferramentas mais eficazes e desenhadas para assegurar sua missão da melhor maneira possível.

Imagem compara a evolução dos modelos da estrada.
Imagem compara a evolução dos modelos da estrada.

O Mercedes-Benz Accelo 1016, além de ser o último membro da família lançado, chegou para ocupar uma nova faixa de peso dentro desse segmento, deixada por seu antecessor Accelo 915 C. Com 600 kg a mais de capacidade de carga, resultando em 9 600 kg de PBT (Peso Bruto Total), o veículo continua com suas dimensões compactas para atuar no intenso tráfego das grandes cidades e no transporte intermunicipal ou de curtas distâncias rodoviárias.

O modelo, apesar de atuar num segmento bastante conservador, tem, em termos de design, sobretudo quando comparado ao seu principal concorrente, o VW 10.160 Delivery, uma das aparências mais modernas – mas perde para o Iveco Vertis 90V18. Nele se destaque para a grade frontal, que segue a identidade visual dos irmãos maiores, incluindo a linha tradicional, e as aletas laterais, que melhoram o fluxo de ar sem prejudicar a aerodinâmica do veículo.

No posto de condução, o motorista se sente como estivesse dirigindo um carro.
No posto de condução, o motorista se sente como estivesse dirigindo um carro.

Num modelo mais completo, o caminhão já vem preparado para receber faróis de neblina. As portas contam com protetores de escada, garantindo, assim, maior segurança para quem está a bordo. O para-choque é dividido em três partes, o que permite, em caso de avaria, trocar só a parte atingida. Uma economia para o bolso do cliente.
Mas o que faz desse modelo uma estrela para as atividades urbanas e interurbanas são suas opções de distâncias entre-eixos, 3 100 mm, 3 700 mm e 4 400 mm, tornando-o versátil por ser capaz de atender às diversas demandas do transporte urbano.

Segundo Wilson Baptistucci, engenheiro da área de marketing de produto Mercedes-Benz, com entre-eixos de 4 400 mm o caminhão pode ser implementado com carrocerias de até 6,5 m de comprimento; com entre-eixos 3 700 mm é indicado para carrocerias de até 5,5 m; e o entre-eixos de 3 100 mm atende operações com VUC (Veículo Urbano de Carga) e pode receber carrocerias com comprimento de 4,5 m.

A Mercedes dispõe de um kit para a instalação de um terceiro eixo em implementadoras de terceiros, ampliando sua capacidade para 13 000 kg de PBT, com a acoplagem de carrocerias de até 8 200 mm de comprimento. Contudo, o 1016 é indicado às atividades de coleta e entrega de mercadorias e operações em zonas rurais – tanto que já foi um modelo adquirido pelo MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) no Programa Mais Alimento.

O acesso a cabine é facilitado graças a altura dos degraus.
O acesso a cabine é facilitado graças a altura dos degraus.

Outros segmentos em que o caminhãozinho é bem procurado são setores atacadistas, autossocorro, entrega de gás, construção civil, hortifrutigranjeiro e frigoríficos, por exemplo. Com 3° eixo, o que representa em torno de 10% das vendas do veículo, o 1016 conquistou o setor de bebidas. Isso porque nessa composição ele pode carregar seis pallets altos.

O Accelo 1016 é equipado com motor produzido pela Mercedes-Benz, o OM 924 LA, instalado num bloco com arquitetura de 4 cilindros em linha, de 4,8 litros, que desenvolve potência média de 156 cv a 2 200 rpm e torque de 62,2 mkgf de
1 200 a 1 600 rpm. Esse motor está combinado a uma transmissão ZF S5-580, de 5 velocidades. Mas, dependendo da operação, sobretudo as mistas ou com o 3º eixo, a fabricante da estrela de três pontas recomenda a versão de 6 velocidades produzida por ela, a MB 56-6, sincronizadas com overdrive. Com essa transmissão, a redução do eixo traseiro é de i=4,30, mas a Mercedes também dispõe da relação de 3,90.

O motor de 4 cilindros é Merceds-Benz
O motor de 4 cilindros é Merceds-Benz

A robustez do trem de força é comprovada por também equipar modelos maiores da marca, como o Atego de 17 t de PBT. Ainda nesse quesito chama a atenção a maior altura da cabine, que também é protegida, justamente para que o veículo possa ter acesso a regiões de difícil acesso. O vigor se completa pelo conjunto de suspensão de molas parabólicas com amortecedores telescópicos de dupla ação e barra estabilizadora. Graças às suas dimensões compactas e ao reduzido círculo de viragem, segundo a Mercedes-Benz, o Accelo se torna um caminhão para o tráfego intenso das grandes cidades, por movimentar-se com facilidade, mesmo que em vias estreitas.

EQUIPAMENTOS

Apesar de o caminhão ter a dirigibilidade e um interior com o conceito de um automóvel, justamente para facilitar o dia a dia nas cidades, tanto a Mercedes como todas as outras marcas que atuam nesse segmento ainda deixam a desejar com relação à quantidade de itens que poderiam ser de série no veículo. Por exemplo, ainda são opcionais no caminhão vidro elétrico, espelhos retrovisores com regulagens elétricas, coluna de direção regulável e ar-condicionado.

Alguns desses itens fazem a diferença no dia a dia, sobretudo no trânsito das grandes cidades e nas grandes variações climáticas. Mas o Accelo traz uma vantagem de segurança, que é o freio-motor TopBrake de série. O modelo desenvolve potência de frenagem de 130 cv. A bordo, possui três bancos, com cintos de segurança de três pontos, até para o banco do meio. De série o veículo possui freios a tambor, mas a Mercedes ainda tem a versão com freios a disco (mais indicada se o quesito segurança for importante). Também é de série o espelho de manobra.

Versátil, o caminhão tem desenvoltura para operações rodoviárias e urbanas.
Versátil, o caminhão tem desenvoltura para operações rodoviárias e urbanas.

O computador de bordo é completo, oferecendo todas as informações necessárias à viagem, incluindo consumo total e parcial, tempo de viagem, níveis de óleo, temperatura do motor, etc. O tacógrafo é digital e o caminhão é preparado para receber rádio. O conjunto técnico, motor e transmissão, além de ter desenho moderno e aerodinâmico, faz do Mercedes 1016 uma alternativa inteligente para enfrentar as operações urbanas, mistas e rurais que necessitam de PBT entre 9 600 kg e 13 000 kg. O modelo concorre diretamente com Agrale 10000, Iveco 90V18 HD e VW Delivery 10.160. O teste completo você encontra na edição 145 da revista TRANSPORTE MUNDIAL.

Fonte: Motorpress Transporte | www.motorpress.com.br
Autor das imagens: Omar Matsumoto
Postado por: 4Truck | www.4truck.com.br